Campo Grande (MS), Sábado, 13 de Julho de 2024

ARTIGOS

Autossuficiência individual e familiar

06/11/2023

19:00

WILSON AQUINO

WILSON AQUINO*

Desde tempos imemoriais, a humanidade tem sido aconselhada a buscar sua própria sustentação e a alcançar a autossuficiência. No entanto, em meio às incessantes flutuações econômicas que assolam não apenas o Brasil, mas o mundo todo, alcançar esse estado se torna um desafio monumental. É precisamente diante dessas dificuldades que a autossuficiência se revela crucial. Ela não é apenas um ideal distante, mas uma necessidade premente para minimizar os impactos das crises. Aqueles que aprenderam a controlar seus gastos, evitando o consumo impulsivo e aquisições supérfluas, estão melhores preparados para enfrentar tempos difíceis.

No Brasil, o consumismo desenfreado se tornou uma questão cultural alarmante. As pessoas se endividam facilmente, vivendo além de seus meios e lutando com dificuldade para administrar suas finanças de forma responsável. O conceito de autossuficiência, entretanto, vai além do aspecto financeiro. Ele também abarca a espiritualidade, ensinando que indivíduos equilibrados e conscientes dos princípios que regem suas vidas material e espiritual vivem de maneira mais segura e feliz, mesmo em meio às piores crises.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias destaca a importância desse equilíbrio. Ela insiste no trabalho da autossuficiência como uma meta vital para seus membros. Essa abordagem destaca que a verdadeira assistência é aquela que capacita as pessoas a se tornarem autossuficientes, promovendo sua liberdade.

O Élder Albert E. Bowen, membro respeitado dessa instituição, salienta que a verdadeira assistência não cria dependência permanente, mas capacita as pessoas a ajudarem a si mesmas, promovendo sua liberdade.

Infelizmente, a política assistencialista do governo brasileiro muitas vezes perpetua a dependência. Muitos programas, apesar de suas intenções nobres, acabam por aprisionar os beneficiários em um ciclo interminável de necessidade. É como a triste história das gaivotas em St. Augustine: acostumadas a receber migalhas dos barcos de pesca, essas aves perderam a habilidade de pescar por si mesmas quando os barcos desapareceram.

É importante diferenciar essa abordagem da política governamental, especialmente no contexto brasileiro, onde o assistencialismo muitas vezes se torna uma armadilha. Muitos programas sociais, apesar de seu objetivo nobre de aliviar o sofrimento imediato, podem resultar em dependência a longo prazo. Alguns grupos políticos usam o assistencialismo como uma ferramenta para manter eleitores sob seu controle.

Assim como o velho adágio que diz "ensinar o indivíduo a pescar em vez de simplesmente dar o peixe," a ênfase deve ser na capacitação das pessoas para que possam assumir o controle de suas próprias vidas, prosperar e contribuir para a sociedade. É importante entender que a ajuda deve ser um trampolim para a autossuficiência, não um grilhão que perpetua a dependência.

Portanto, é imperativo que repensemos nossas abordagens assistenciais. Em vez de criar laços de dependência, devemos criar meios para o progresso pessoal e coletivo. Ao promover a autossuficiência material e espiritual, não apenas estamos fortalecendo indivíduos, mas também construindo uma sociedade mais resiliente e justa. É somente através do empoderamento e do apoio mútuo que podemos verdadeiramente superar as crises e criar um futuro mais promissor para todos.

A Bíblia oferece inúmeros ensinamentos sobre a importância da autossuficiência e do trabalho árduo como princípios fundamentais. Em 2 Tessalonicenses 3:10, por exemplo, está escrito: "Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também."

Além disso, Provérbios 6:6-8 nos orienta: "Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos, e sê sábio. Pois ela, não tendo chefe, nem guarda, nem dominador, prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento”. Essas palavras destacam a necessidade da preparação, do esforço constante e da prudência, encorajando os indivíduos a serem autossuficientes e a se prepararem para o futuro.

*Jornalista e Professor


Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Últimas Notícias

Veja Mais

Envie Sua Notícia

Envie pelo site

Envie pelo Whatsapp

Municípios

Rebouças Renascença Reserva Reserva do Iguaçu Ribeirão Claro Ribeirão do Pinhal Rio Azul Rio Bom Rio Bonito do Iguaçu Rio Branco do Ivaí Rio Branco do Sul Rio Negro Rolândia Roncador Rondon Rosário do Ivai Sabáudia Salgado Filho Salto do Itararé Salto do Lontra Santa Amélia Santa Cecília do Pavão Santa Cruz Monte Castelo Santa Fé Santa Helena Santa Inês Santa Isabel do Ivaí Santa Izabel do Oeste Santa Lúcia Santa Maria do Oeste Santa Mariana Santa Mônica Santa Tereza do Oeste Santa Terezinha de Itaipu Santana do Itararé Santo Antônio da Platina Santo Antônio do Caiuá Santo Antônio do Paraíso Santo Antônio do Sudoeste Santo Inácio Sapopema Sarandi Saudade do Iguaçu São Carlos do Ivaí São Jerônimo da Serra São João São João do Caiuá São João do Ivaí São João do Triunfo São Jorge d'Oeste São Jorge do Ivaí São Jorge do Patrocínio São José da Boa Vista São José das Palmeiras São José dos Pinhais São Manoel do Paraná São Mateus do Sul São Miguel do Iguaçu São Pedro do Iguaçu São Pedro do Ivaí São Pedro do Paraná São Sebastião da Amoreira São Tomé Sengés Serranópolis do Iguaçu Sertanópolis Sertaneja Siqueira Campos Sulina Tamarana Tamboara Tapejara Tapira Teixeira Soares Telêmaco Borba Terra Boa Terra Rica Terra Roxa Tibagi Tijucas do Sul Toledo Tomazina Três Barras do Paraná Tunas do Paraná Tuneiras do Oeste Tupãssi Turvo Ubiratã Umuarama União da Vitória Uniflor Uraí Ventania Vera Cruz do Oeste Verê Vila Alta Virmond Vitorino Wenceslau Braz Xambrê

ParanAgora © 2021 Todos os direitos reservados.

PROIBIDA A REPRODUÇÃO, transmissão e redistribuição sem autorização expressa.

Site desenvolvido por: